As vantagens de ser invisível





“E quero que saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo e ainda estou tentando entender como posso ser assim” Pág 12





  Querido amigo,

Você já leu algum livro que simplesmente tocou sua alma? Que mexeu contigo de uma forma que você nem entende direito, que te causou um bocado de emoções diferentes e que depois de ler as palavras finais ainda ficou pensando sobre a história e os personagens durante muito tempo? “As vantagens de ser invisível” (editora Rocco), do norte-americano Stephen Chbosky, fez isso comigo. Nada descreve essa sensação melhor do que dizer que fez me sentir INFINITO!

O livro é estruturado em cartas que Charlie manda anonimamente (ou seja, Charlie não é o nome verdadeiro dele) para alguém que ele nem mesmo conhece pessoalmente.  Ele decide mandar a primeira carta depois de seu melhor (e único) amigo se suicidar e ele ficar com medo de enfrentar o começo do High School sozinho. Depois, ele continua a mandar cartas contando o que acontece com ele nesse ano.

Charlie tem 15 anos e é um pouco ingênuo (aliás... MUITO ingênuo) e imaturo, mas também doce, sincero e inteligente.  Sua vida muda ao conhecer Sam e Patrick, três anos mais velhos, mas que o acolhem em seu círculo de amizade. A partir daí as cartas mostram a confusão que é estar nesse mundo novo, seu jeito de pensar um tanto inusitado e ainda suas alegrias e descobertas. Amizade, relações familiares, os amores da adolescência, drogas, autodescoberta sexualidade e outros temas são abordados, mas não na forma como estamos acostumados a ver. É mostrado naturalmente, como realmente acontece e não como um debate sobre o que é certo e errado, entendem?

Uma das coisas mais legais sobre o livro do Charlie (como gosto de chamar carinhosamente rs) é que é CHEIO de referências (o que eu adoro). Aliás... não sei se posso chamar de meras referências já que não só mencionadas, mas aparecem como parte da vida do Charlie, mostrando o impacto que os filmes/livros/músicas tem nele. Destaque para a linda Asleep do The Smiths e o The Rocky Horror Picture Show. 


"E penso em como muitas pessoas têm adorado essas canções. Como muitas pessoas passaram maus bocados por causa dessas canções. E como muitas pessoas tiveram bons momentos com essas canções. E o quanto essas canções realmente significam. Acho que seria ótimo ter escrito uma delas. Aposto que, se eu tivesse escrito uma dessas músicas ficaria muito orgulhoso. Espero que as pessoas que escreveram essas canções sejam muito felizes. Tomara que elas se sintam realizadas. Tomara mesmo, porque elas me fazem feliz. E eu não sou o único" Pág 72

Os personagens são simplesmente encantadores. São reais, como a gente encontra por aí. Você sente vontade de estar no grupo e rir das piadas do Patrick, se encantar pela beleza da Sam e ouvir os discursos feministas da Mary Elizabeth. Além disso... acho que nunca me identifiquei tanto com um personagem quanto me identifiquei com o Charlie. Principalmente por ele achar que tem algo errado com ele, mas não saber o que é. E por ele questionar e se importar com pequenas coisas que passam despercebidas pela maioria das pessoas. E por descobrir o que é ter amigos de verdade após passar por um período como forever alone. E pela sua jornada de autodescoberta. Nunca quotei tanto um livro! O pessoal no twitter deve até ter ficado irritado com as inúmeras frases do livro que aparecia em suas timelines... rs

Algumas coisas podem incomodar, como o pensamento às vezes um pouco infantil do Charlie (gera até uma estranheza no começo) e a naturalidade com que algumas coisas são mostradas. Como eu disse, não há debates sobre o certo e o errado, o que é bom até certo ponto. O trato ao uso de drogas me incomodou, por exemplo, e essa foi uma das críticas que o livro recebeu quando foi lançado e que causou polêmica. Mas como o professor do Charlie diz, é preciso ser um filtro e não absorver tudo como uma esponja. Acho que posso dizer que é uma leitura leve e prazerosa, mas intensa.

“Então eu acho que somos o que somos por várias razões. E talvez nunca conheçamos a maior parte delas. Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas” Pág 221

O livro foi escrito para adolescentes, mas acho que é para todo mundo que um dia já se sentiu deslocado. E que depois já ficou muito feliz por sentir que era parte de algo. E para todos que gostam de uma história tocante e sincera. E para todos que já passaram por essa complicada fase chamada adolescência.

Nunca me esquecerei do livro do Charlie e pra falar a verdade gosto de ficar pensando no que aconteceu com ele. E com Patrick e Sam. E como eles estariam hoje. Espero que estejam felizes. Realmente espero.

Love Always,

 Vitor
  
Ps: lembram de mim? Escrevi esse post aqui. Pedi para a Nanda para escrever sobre o livro do Charlie (porque acho que é um livro que merece ser lido e divulgado. Espero que leiam, gostem e se sintam infinitos também!) e ela me convidou para fazer parte da equipe do blog! So... estarei de volta em breve dando um toque masculino por aqui rsrs

Ps2: lista dos filmes/livros/músicas mencionados: Charlie’s list

Ps3: adoro ir na página de “Asleep” no youtube e no letras.mus e ver as pessoas falando que o Charlie os levou até lá :)

Ps4: Se alguém ler e quiser comentar/debater comigo sobre o livro pode me mandar um tweet! Meu twitter é @vitorAlsouza

 PS5: FILME!
A adaptação para o cinema que estreia aqui em 19 de outubro 2 de novembro (foi adiado :[ ) foi roteirizada e dirigida pelo próprio autor do livro então não tem como não ser bom.

Gostei muito dos atores escalados. Não poderia ter escolha melhor para viver Sam do que a bela Emma Watson (Harry Potter). Ezra Miller (Precisamos Falar Sobre Kevin), que eu não conhecia, parece bem confortável no papel de Patrick e Logan Lerman (Percy Jackson), pelo trailer, parece captar bem a doçura e imaturidade do Charlie.

Completam o elenco: Kate Walsh (Grey’s Anatomy), Nina Dobrev (The Vampire Diaries), Melanie Lynskey (Two And A Half Man), Paul Rudd (Eu te amo, Cara),Zane Holtz (Make It Or Break It), Dylan McDermott (American Horror Story) Mae Whitman (Um Dia Especial) e Johnny Simmons (Garota Infernal)

Trailer do filme



See ya!  :]

Escrito por Vitor Souza

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

20 comments:

Anônimo disse...

Caramba, parece ser realmente interessante. Fiquei curioso pra ler.

Nana disse...

Hey
adorei a resenha, será que vão relançar o livro com a capa poster? haha

E esse elenco, é muito amor gente!

Todo mundo fala bem desse livro, preciso ler.

beijos e bom final de semana
Temos promoções novas no ar, se quiser participar..
Nana - Obsession Valley

Vitor Souza disse...

Anonimo

É muito legal, pode confiar :)

Vitor Souza disse...

Nana,

Li em algum lugar que está dificil de encontrar os livros justamente pq a editora quer lançar uma nova edição com a capa do filme quando este estiver perto de ser lançado!

O elenco é puro amor mesmo :)

Natália Kostek disse...

Quero ver o filme, o elenco me agrada bastante!

Vitor Souza disse...

Olá Natália!

O elenco do filme foi o que me fez interessar pela história. Tava vendo a ficha da Emma e vi que ela estava filmando o filme em compania de um bocado de atores que gosto. Depois descobri o livro e realmente acho que vale a pena le-lô além de esperar pelo filme

Obrigado pelo comentário :)

Karlinha disse...

Adorei o post, estou super ansiosa para ver o filme pq acho que está ótimo. Amei mesmo.

Vitor Souza disse...

Olá, Karlinha!

Que bom que gostou! Planejei o mais cuidadosamente possível pq é um livro realmente especial para mim :)

Nanda Grubstick disse...

Eu já li um livro que passei tempos pensando, nunca esqueço algumas frases e partes, parece que grudam na nossa cabeça e não saem mais. Eu "vi" você falando desse livros muuuuuuuuitas vezes, e sempre pareceu ser legal, mas eu ando com uma preguiça enorme de ler. Mas seu post me deu vontade enorme de começar esse *-* Eu não sabia que era assim em cartas, é diferente do que a gente vê por aí (até li em e-mails, mas não conta né?)

"Mas mesmo que não tenhamos o poder de escolher quem vamos ser, ainda podemos escolher aonde iremos a partir daqui. Ainda podemos fazer coisas. E podemos tentar ficar bem com elas” Pág 221" :')

Sobre o filme, odeio a Emma Watson (inveja, assumo) mas o resto do elenco é legal ;) Espero ler o livro antes de ver o filme *-* Apesar do roteirista e diretor ser o autor do livro prefiro não me arriscar.

Aline disse...

fiquei com muita vontade de ler o livro

Thayná disse...

Terminei de ler esse livro tem pouco tempo e é dessas leituras que aquecem o coração, ao mesmo tempo em que soca o estômago.
Charlie é um personagem tão querido, tão meigo, sincero e absurdamente cativante que conquista já na primeira página. Li que, mesmo com o jeito ingênuo dele, não era para abandonar a leitura no começo, mas, acho que é impossível. Ele te chama para acompanhar sua história. E te faz sentir tanto quanto ele. E, essa palavra - que concordando com que Patrick e Sam dissera - é uma das coisas mais inteligentes que ouvi em décadas. Eu me sinto infinita, graças ao Charlie.

E, acho também que, no fundo, mesmo nos identificando com Charlie, queríamos estar no lugar de Patrick e Sam, ou de Mary e Alice, para conviver com ele. Eu me punha ali várias vezes para participar e me sentir aquecida por dentro, por fazer parte daquela história.
E,é isso que o autor quis no fim das contas. Somos todos o "Querido amigo" de Charlie. Somos todos infinitos também.

E ah, pelo menos aqui no Rio de Janeiro, encontrar o livro não está "tão" difícil. Fui em um evento no fim do mês passado e encontrei alguns exemplares na Livraria da Travessa. E no próprio site deles a venda está com um preço super legal. (não quis esperar sair a capa do livro. Apesar da edição americana de capa amarela ser a minha favorita, essa edição brasileira é uma das minhas preferidas - apesar das folhas brancas).

Ótimo post, Vitor!

Vitor Souza disse...

Nanda,

É tão bom quando acontece isso, não é?

Acho que emails contam sim rs Afinal, são cartas eletrônicas!

Coitada da Emma! Ela é tão tão tão... ah, nem sei descrever *suspiro*

Vitor Souza disse...

Aline,

esse foi o intuito do post :) Que bom que gostou

Bárbara Kruczynski disse...

Vitor,
Sinceramente, eu ameeeei todas as citações que vc postou do livro. Acho que é bem como vc disse '' o livro é pra todo mundo que se sente deslocado'' ...rs
me sinto assim desde sempre!
Espero que a adaptação consiga captar com perfeição pq vc fez um post tão belo que assim que der vou comprar o livro e ler...rs CERTEZA!!!
E estou mt feliz de participar do blog com vc e com as meninas ! Vai ser gratificante demais compartilhar e conhecer ''cultura'' com vcs
;) xoxo

Vitor Souza disse...

Olá, Thayná!
Realmente. Como eu disse é uma leitura prazerosa, mas bem intensa! O final te surpreendeu? Tive que ler duas vezes pra ter certeza de que tinha entendido direito!
Concordo, acho que é mesmo uma das coisas mais inteligentes que eu já ouvi. É a definição exata para um sentimento que eu achava que não tinha como descrever. E eu acho que você conseguiu captar a essência do Charlie em palavras melhor do que eu 
Excelente, sacada! O destinatário do Charlie não é uma pessoa só, mas todos nós! Gostei!
Aqui em Brasília também não foi difícil achar. Mencionei isso por que vi várias pessoas na internet dizendo que não estavam encontrando e pensei que fosse estratégia da editora... bom saber que ainda existem exemplares disponíveis! (comecei a ler o livro em ebook, em inglês mesmo, mas fique tão envolvido na história que tive que comprar o livro!)
Que bom que gostou do post e do livro (: Obrigado por comentar!

Vitor Souza disse...

Bárbara Kruczynski,
Obrigado! Realmente vai ser muito legal participar do blog!

As quotes são a melhor parte *-* Lotei meu twiter de frases

É muito ruim se sentir deslocado... espero que cada um encontre o seu lugar :)

ana Paula disse...

Eu me apaixonei pela proposta desse livro só com o trailer do filme, que eu vi no site da apple/trailers faz um tempão!
E a sua resenha... sério, tem como não amar essa história?? Se sentir deslocado, o amor da amizade... ( a FRASE do Charlie!!!!)
Agora estou louca aqui procurando o livro pra comprar e não acho =( - pela internet pelo menos.

ótima resenha!!

Vitor Souza disse...

Olá, Ana!

Eu conheci o livro um pouco antes de sair o trailer e me apaixonei pela história após ler as primeiras páginas! Depois que ler o livro, assite o trailer de novo. Eu fiquei emocionao em ver as cenas que eu só podia imaginar! rs

Obrigado pelo comentário!

Vitor Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
samurandre disse...

filme maravilhoso, mas ainda estou procurando o livro ...

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)