Faroeste Caboclo




''Faroeste Caboclo'' , um dos filmes mais aguardados do ano,  foi o ''petit amour'' dessa semana devido a sua pré-estréia em Brasília nesta terça-feira (14). O longa é baseado na canção de mesmo nome da banda brasiliense LEGIÃO URBANA ( o que por si só já atrai atenção, não acham?). Nos papéis principais:  Fabrício Boliveira como o sofrido João de Santo Cristo <Romeu>, Ísis Valverde como ''a menina linda'', Maria Lúcia  < Julieta >  e Felipe Abib ~oi, gato?! ~  como o traficante Jeremias  <Páris>. (Diz ai se Renato Russo é ou não é a nossa versão de ''William Shakespeare'' por criar um amor tão trágico?! vai acompanhando que você vai entender o que digo). 

Bem, o Wanna Be Nerd conferiu o filme e te conta um pouco mais sobre o que rolou por lá. PÁAAAHRA TUDO, porque até agora eu estou despirocando com esse filme!!! Primeiro que: ele só estréia dia 30 de MAIO e nós já vimos, e segundo: É LEGIÃO URBANA, PEOPLE, C'MON!!! A banda que, tenho certeza, você conhece ao menos uma música! ( a banda que me fez questionar o mundo e a mim mesma, aos 13 anos) Táaaaaaaah loko!!! Esperamos mais de 10 anos por isso!!!!  E olha,  foi uma das cabines de imprensa mais cheias que já participamos, nem DJANGO LIVRE lotou tanto  (eu fui só, mas levei a Nanda e o Vitor no   principalmente porque sabia que a Nanda chorava SANGUE por não poder ir. < Oh, friend ㋡> ).

Enfim, a  película conta a história NÃO TÃO FIEL que canta a canção. Olha só:  

 João (Fabrício Boliveira) de '' Santo Cristo'',   interior de  Salvador,   é um pobre rapaz  que desde pequeno sofria com as mazelas do árduo  nordeste brasileiro.  Seu pai é morto por um soldado, quando ele ainda era criança e sua mãe morre em meados de sua adolescência. Logo então,   João deixa sua cidade natal e sai  em busca de  conquistar uma vida melhor na tão sonhada capital do Brasil, Brasília. Lá, ele recebe a ajuda de Pablo (César Troncoso), um primo distante, que nasceu no Peru e vende drogas vindas da Bolívia. João logo consegue emprego como carpinteiro, mas não demora muito para se envolver também no tráfico de drogas. É quando conhece Maria Lúcia (Ísis Valverde), filha de um senador (o falecido Marcos Paulo), por quem se apaixona perdidamente. Ela retribui o amor de João, mas logo ele se vê envolvido em uma escalada de violência que tem no playboy e também traficante Jeremias (Felipe Abib), seu grande antagonista.

Até aqui todo mundo já viu que tá tudo igual, certo? Poisé! Fãs da banda e ''amantes da canção'' vão captar, quando verem o filme, que a essência trágica da jornada de João, está lá! Pois no longa do estreante René Sampaio, o pobre sonhador João ganha vida em um novo mundo, ganha amor, simpatia, mas ganha também rivais odiosos e sofre com a violência que lhe é dada gratuitamente talvez por inveja, talvez por preconceito (vai saber?!!!). E isso tudo traz ao enredo milhares de conflitos fazendo com que um roteiro baseado em uma canção de 10 minutos tenha um longa com 100 minutos de duração. (um mega UAAAU pra isso ) . 

Bem, a película  se faz valer como ótima ''adaptação para as telas'', pois  Faroeste Caboclo cavalga bem cinematograficamente falando, mesmo que se distancie de detalhes da canção, que talvez não teriam tanto apreço se estivessem no roteiro  (mero pensamento de uma cinéfila), e perca o ritmo algumas vezes.  A trilha cai bem aos nossos ouvidos a todo o momento, culpa do talentoso Philippe Seabra (Plebe Rude), que assina a mesma. (Você só vai ouvir a canção que deu origem ao filme no fim dos créditos, durante o filme o que rola mais é instrumental mesmo). 


 Ver nossa ''Brasilia'' ali na tela é de uma nostalgia recente,passada, contemporânea enorme, principalmente pra quem mora por aqui, e a fotografia de Gustavo Hadba( Jorge Mautner - O Filho do Holocausto) dá esse recado. O detalhe da produção quanto ao período que o filme retrata, meados dos anos 80, também se sobressai  e um ponto alto é a jogada mestre da edição que vocês também só vão entender quando assistirem. (As cenas iniciais  são muuuuito da hora).  

O elenco é intercalado de atores desconhecidos e consagrados e isso  agracia o projeto e nos faz prestar atenção nestas novas caras da dramaturgia brasileira. Maria Lúcia, por exemplo, cai muito bem com a interpretação de Valverde, atriz já conhecida dos folhetins brasileiros, mas Boliveira dá um tom renovador e forte ao filme com sua mega presença de iniciante.  Adorei também o uruguaio César Troncoso, que dá a vida ao famoso primo peruano de João. Sem contar que Felipe que interpreta o traficante Jeremias também bate um bolão. (Ele pode ser visto no recente ''Vai que dá certo'') 
Trailer


Ficha técnica
(Europa Filmes/Divulgação)

País de produção: Brasil. Duração: 105 minutos. Direção: René Sampaio. Roteiro: Marcos Bernstein e Victor Atherino, inspirado na música de Renato Russo. Trilha: Philipe Seabra e Lucas Marcier. Elenco: Fabrício Boliveira, Isis Valverde, Felipe Abib, Antonio Calloni, César Trancoso, Marcos Paulo, Flávio Bauraqui, Lica Oliveira , Cinara Leal, Juliana Lohmann, Rodrigo Pandolfo, Leonardo Rosa, Tulio Starling, Romulo Augusto, Andrade Júnior, Caco Monteiro, entre outros. Participação especial: Giuliano Manfredini, filho de Renato Russo. Produção executiva: Bianca de Felippes e Marcello Ludwig Maia. Produção: Gávea Filmes, Fogo Cerrado e República Pureza. Produção associada: Fulano Filmes. Coprodução: Globo Filmes e Telecine. Distribuição: Europa Filmes e Rio Filmes

''E nisso o sol cegou seus olhos e então Maria Lúcia ele reconheceu ela trazia a Winchester-22 a arma que seu primo Pablo lhe deu''
Tragédia ou não, Faroeste, é um filme real da guerra no amor e na vida! Um filme que conta como alguém pode se transformar com o amor e fingir viver quando este lhe é tirado pelos passos largos que a vida dá.  Maria Lúcia faz o que pode e o que não devia para o bem do seu amado João, mas isso não impediu que nenhum deles chegasse a um final drasticamente fatal como cantado na música.


A Criatura x O Criador 


Coincidentemente ou não, MAIO está completamente repleto de homenagens a Renato Russo e cia! Afinal, semana passada também chegou as telas ''SOMOS TÃO JOVENS'' (Imagem Filmes). A cinebiografia desse grande ídolo do nosso rock nacional. Certamente, não tem como comparar os longas, pois tem estilos, iniciativas e produtoras diferentes, mas se interligam por causa de Renato e ''tchurma''. Outrora, o que se percebe ainda em questões de diferença é que  ''Somos Tão Jovens'', apesar de ser um projeto sincero e divertido, tem um apelo bem ''teen'', já ''Faroeste Caboclo''  se revela mais maduro e bem projetado. 

Fechando o bar, só queria declarar que demorou muuuuuuito para que essa grande banda brasileira fosse homenageada e agora é prestigiar e celebrar isso. Então, não perca a estréia de Faroste Caboclo no dia 30 de Maio! E se puder, confira ''Somos Tão Jovens'' também. 

That's all Folks!
See ya

B.


Ps: Um salve para Kastlene, a menina da minha 7º série que cantava essa música todos os dias repetidamente e sem parar... lol
Ps2: Tá sabendo da homenagem que vai rolar ao Renato Russo em Junho? https://www.facebook.com/renatorussosinfonico








Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook