Eleanor & Park - Rainbow Rowell

Sempre que vou ao shopping tenho que fazer duas coisas: dar uma olhada nos filmes em cartaz e passar em uma livraria, mesmo que eu esteja só de passagem e não pretenda ver um filme ou comprar nada. E no começo desta semana não foi diferente... entrei na Leitura sem esperar achar nenhuma novidade, mas aí um livro me chamou atenção. Tinha uma capa simples, mas muito bonita. Além disso, na capa ainda tinha um comentário do John Green! Percebi então que já tinha lido sobre ele, em um post do buzzfeed sobre os melhores livros YA do ano passado. Li a sinopse e resolvi comprar. Estou gostando dessa nova onda de livros para jovens adultos que buscam se aproximar mais da realidade, sem ser distopias ou sem envolver vampiros, bruxas, lobisomens e etc (embora ame esses também!), mas não estava preparado para a carga emocional de Eleanor & Park. Comecei a ler esperando encontrar algo reflexivo como os livros do John Green ou um romance divertido e bobo (no bom sentido) como "A probabilidade estatística do amor à primeira vista", mas não. Encontrei uma história dramática, daquelas que parecem te dar um soco na alma, mas ainda... doce como o primeiro amor. 

Enfim, Eleanor & Park se passa no ano de 1986. Eleanor é uma menina grande, de cabelo muito ruivo e que não tem dinheiro nem para comprar uma escova de dentes. Park é um menino meio asiático e meio underdog que embora não seja popular, tem um status na escola alto o bastante para ser deixado em paz. Depois de ser expulsa de casa pelo padastro e passar um ano com uma amiga da mãe que não a queria, Eleanor volta para casa e no primeiro dia de aula, no ônibus da escola, ela conhece Park. 

“A gente acha que abraçar uma pessoa com força vai trazê-la mais para perto. Pensamos que, se a abraçarmos com muita força, vamos senti-la, incorporada em nós, quando estivermos longe. Toda vez que Eleanor ficava longe de Park, sentia sua perda.”

No começo, Park estranha a menina, mas acaba permitindo que ela se sente ao seu lado. A primeira vista, Eleanor acha Park um idiota, mas com o passar do tempo começa a acompanhar sem querer as hqs que o menino lê no ônibus. Ele deixa que ela leia, mais ainda não conversam. Depois, começam a ouvir músicas no toca fitas de Park (hahaha), mas ainda trocam poucas palavras e olhares... até que, inexplicavelmente, meio sem querer, os dois se apaixonam.  Na review que o John Green fez do livro ele fala que todo romance tem um obstáculo - o fato de um ser vampiro e a outra humana, as famílias que se odeiam e etc - mas que no caso de Eleanor & Park o obstáculo é... o mundo. Concordo com ele. O grande obstáculo para o amor dos dois é a realidade. Por que as vezes o amor não é o suficiente para salvar alguém de uma realidade difícil. As vezes é - como foi para a mãe de Park - mas as vezes não é.

Fonte: tumblr
Demorei para ler o livro por causa das coisas da faculdade. Não queria parar de ler, mas precisava. Como sofri com isso! A história prende muito a atenção. Ou melhor, os personagens. Eles são muito bem construídos. Todos eles, até os mais coadjuvantes. Park é aquele tipo de "pessoa" que prefere ficar na dele. Por ser o único asiático no bairro ele chama atenção, mas não é algo que ele queira. Não tem uma vida perfeita, mas ela é satisfatória e por isso ele pode simplesmente... sobreviver. O que muda quando ele se apaixona por Eleanor, pois ele passa a não mais temer ser ele mesmo e a sair de sua zona de conforto. Eleanor... é uma personagem complexa. Além de ter os complexos normais da sua idade - de aparência e tal - tudo é elevado à máxima potência pela situação difícil que ela tem que enfrentar em casa. A mais velha de cinco irmão, ela tem que lidar com a falta de dinheiro, o bullying dos colegas de escola que fazem dela um alvo por nenhuma razão, um padastro abusivo, um pai indiferente e uma mãe que não tem forças suficientes para lutar por si mesma e pelos filhos. Gente, eu sofri tanto com as injustiças que a Eleanor sofre! Doeu meu coração... porque eu sei que tem gente que passa por isso mesmo, sabe? É uma personagem real demais. Por isso eu entendo completamente o jeito que ela age (eu acho que tem pessoas que não vão entender): sempre na defensiva, irônica, as vezes rude e complexada. Quando encontra Park, ela finalmente consegue abaixar um pouco os muros que a protegem e o deixa conhecê-la melhor. Acho que para ela, o amor representa uma fuga da realidade. Um pouco de luz e felicidade em meio ao caos. 

E é isso a história... todo mundo que já teve um primeiro amor vai se identificar imediatamente. Rainbow (que nome engraçado hihi) consegue descrever com perfeição o sentimento dos protagonistas.O livro é tão cativante - e de fácil identificação - que senti a beleza do sentimento e o peso dos problemas dos dois. Ao final, não pude evitar uma sensação de melancolia e o desejo de que o livro tivesse mais páginas, mas terminei com um sorriso no rosto. Resumindo, Eleanor & Park é um romance juvenil maduro, doloroso, doce, sincero e que com certeza vai para a lista das histórias que trazem algo a mais.

PS 1: tenho que parar de me identificar com personagens adolescentes. :( #vergonha

PS 2: o livro tem um bocado de referências! #amo. X-men, Watchmen, Beatles, The Smiths...

PS 3: Clique aqui para conferir playlists que a Rainbow criou com músicas que a ajudaram a criar os personagens e músicas que são mencionadas no livro,

Escrito por Vitor Souza

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)