Ricki and The Flash: De Volta Pra Casa


A atriz Meryl Streep alcançou um patamar, talvez, imbatível para muitos profissionais por ai. Reconhecida pela indústria e pelo público que a acompanha, Streep esbanja talento e experiência que são únicos (quem sou eu para dizer o contrário). Não é à toa que, nos últimos anos, ela tem feito pedra virar água. Diz-se isto, devido ao fato das inúmeras indicações ao Oscar (já passam de dezoito) que a atriz levou por papéis razoáveis, em filmes de contexto fraco, e que quase sempre ganharam destaque por ressaltarem sua presença. 

Dos projetos 'sólidos' de que tem participado 'Álbum de Família' e 'A Dama de Ferro' (este último por qual a atriz ganhou seu terceiro Oscar), se destacam. E, somam-se a está lista, diversos longas 'descolados' que ela tem estrelado, de algum tempo pra cá. Um destes filmes, com certeza, é  'Ricki and The Flash - De Volta Pra Casa', que estreia no circuito nacional nesta quinta - feira (03). Na trama, Meryl encarna a rockeira Ricki Randazzo e contracena pela terceira vez com o ator Kevin sensacional Kline (eles trabalharam juntos em 'A Escolha de Sophie' e 'A Última Noite') e também com sua filha Mamie Gummer (ambas participaram dos longas 'A Dificil Arte de Amar e Ao Entardecer'). O filme tem direção de Jonathan Demme (Filadélfia) e roteiro da aclamada Diablo Cody (Juno).


Sinopse:
Com mais de 50 anos de idade, Ricki (Meryl Streep) é uma cantora de rock, que sempre se apresenta com a banda The Flash em um pequeno bar. A situação financeira é precária, e ela não vê os filhos adultos há décadas. Um dia, o ex-marido Pete (Kevin Kline) liga para Ricki, avisando que a filha Julie (Mamie Gummer) foi abandonada pelo marido, e pedindo ajuda para tirá-la de um estado depressivo. Reticente, a mãe retorna ao lar, e descobre que tanto Julie quanto seus dois irmãos têm muito ressentimento por causa do abandono quando eram crianças. Essa é a oportunidade para Ricki fazer as pazes e tentar ser mais presente na vida deles.
 

Quando você acha que não vai ter mais como Meryl te surpreender ela vai lá e faz um filme tocando guitarra e ainda coloca a voz em todas as músicas que a personagem precisa cantar. Melhor que isso, só a leveza e maestria com que ela exibe sua habilidade para tocar em uma banda de rock - que ok, os áudios do filme foram previamente gravados, mas você não consegue perceber um vacilo sequer 'de mãos retas'  quando ela toca as notas e dedilha o instrumento. A voz de Streep também tem força e sabe onde quer chegar. Ela realmente se dedica e mostra bem que sua personagem é uma rockeira de verdade. Alguém passa o bastão de presidenta à ela? porque, naboa, merece

Por outro lado, quando sai do palco, a personagem de Meryl, Ricki, tem de enfrentar o desprezo dos filhos por tê-los abandonado. E, para eles, ela não passa de uma fracassada, porém o seu retorno à antiga vida faz as coisas começarem a mudar e sua presença agora tem uma ênfase diferente, tentar reconstruir pontes que estavam quebradas e atingir o coração da família. Algo legal da construção da personagem que é bastante enfatizado é como, apesar do 'visu' marcante e da vida rock'n'roll', ela possui características preconceituosas e até alega ter votado em George W. Bush - quem diria?!

Mammie (que é filha na vida real e interpreta a filha de Meryl, na película) consegue manter o nível do bate bola com a mãe e demonstra carisma, em várias cenas. Também dá a entonação perfeita para sua personagem depressiva e, junto com os atores que vivem seus irmãos, põe em debate o ressentimento que sente pela ausência da mãe. Ricki Springfield - que pra quem não sabe é um cantor famoso nos Estados Unidos - lembram da canção 'Jerseys Girl?', é dele. Bem, Ricki, faz seu papel de braço direito da cantora principal da banda e a todo tempo você se pergunta a receita do cantor para se manter tão jovem ( ou o nome de seu cirurgião plástico). Audra McDonald, chega pelas metades do filme, mas também dá seu recado. Ela fez inúmeros espetáculos na Broadway, contudo, no filme deixa de lado o microfone e se doa como a 'mãe que os filhos do marido não tiveram'. Kevin Kline, para variar, está ótimo. O ator passa a imagem do pai presente. Do pai que acabou sendo a mãe que os filhos tanto queriam. E ele não tenta, em nenhum momento, julgar Ricki pelo abandono e se mostra compreensivo e até um pouquinho apaixonado pela ex. Seus diálogos bem humorados com Meryl, são a graça do filme. 

A direção do longa é leve e não deixa o caminhar dele se tornar tedioso. Pelo contrário, tem a ajuda de um roteiro bem desenvolto e um enredo atual que o tornam hiper bem humorado.

trilha sonora  é conduzida pelas canções que a própria Streep cantam. Desde versões do contexto contemporâneo à autorais. Aliás, conferir Streep entoando  Lady Gaga e U2 é algo imperdível! 

O contexto da película tem ligação biográfica com a vida da roteirista Diablo Cody. Sua mãe é cantora de bares e a moça também passou por um divórcio na fase inicial do seu primeiro casamento.   

 Ficha Técnica: Ricki and The Flash, 2015. Direção:Jonathan Demme. Roteiro: Diablo Cody. Elenco:Meryl Streep, Mamie Gummer, Kevin Kline, Rick Springfield, Rick Rosas, Sebastian Stan e Audra Mcdonald. Gênero: Comédia, Drama, Musica.  Nacionalidade:EUA. Distribuidora: Sony Pictures. Duração: 01h47min.

  Trailer
 

Avaliação: Se você viu Meryl em 'Mamma Mia!' e 'Caminhos da Floresta', bata a cabeça na parede e os esqueça que ESSE FILME AQUI É CONSIDERAVELMENTE MUITO MELHORValor no mercado: Três Gibsons e meia nota de Sol! 


Não Recomendado Para Menores de 14 Anos!

03 de Setembro nos Cinemas.

See Ya!
B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)