Deuses do Egito

Agora eu sei que os Transformers vieram do Egito. Não entendeu?! Calma, que eu explico. Chega aos cinemas do Brasil, nesta quinta-feira (25), Gods of Egypt (Deuses do Egito – em português), filme que é uma mistura de ação, aventura, comédia, romance, terror por ter assistido e muito, mas MUITO CGI (Computer Graphic Imagery).

A produção conta a história dos deuses antes do Egito antigo e dá foco ao deus Hórus (Nikolaj Coster-Waldau – Game of Thrones) na busca para reaver o trono que seria seu mas fora tomado por Set (Gerard Butler – Invasão à Casa Branca) no dia de sua coroação. Paralelo a isso, conhecemos Bék (Brenton Thwaites – Malévola) na tentativa de ressuscitar sua amada, Zaya (Courtney Eaton – Mad Max: Fury Road).

A direção de Alex Proyas (O corvo e Eu, Robô) deixa a desejar. O filme é fraco e sofrível em diversos aspectos. Há muito CGI, as cenas, principalmente as de luta, são confusas, o desenvolvimento da história é lento e há erros como nas cenas de deserto, onde claramente dá para perceber que foi utilizado fundo azul e na interação entre deuses e mortais [No início, fala-se que os deuses são maiores que os mortais, contudo, em diversos diálogos, essa diferença não é visível. Já em outros, as cabeças de alguns deuses são tão maiores que eles ficam parecendo os bonecos cabeçudos que encontramos nas lojas].

O roteiro, de Matt Sazama e Burk Sharpless é fraco, confuso e desconexo. Muita coisa fica “voando”. Os diálogos são rasos, os personagens não têm profundidade e toda história acaba sendo movida por vingança [de Horús contra Set] e por desespero romântico [de Bék por Zaya].




O elenco... bem, além do Gerard Butler e do Nikolaj Coster-Waldau que estão no filme só para atrair público há a participação de Brenton Thwaites, Courtney Eaton, Rufus Sewell, Geoffrey Rush, Chadwick Boseman, Elodie Yung, Bruce Spence, Emma Booth, Rachael Blake, Robyn Nevin e Abey Lee. Mas quero chamar atenção para a seguinte questão: os servos e súditos são, em sua maioria, morenos ou negros, já os deuses são brancos, loiros e de olhos azuis.

Gods of Egypt é um filme que tenta ser cômico e, ainda que eles tentem mostrar o contrário, normalmente os diálogos terminam com a risada do Carlos Alberto de Nóbrega ressoando na cabeça. Ou seja, é um filme ruim com boa fotografia.


Trailer


Ficha Técnica: Gods of Egypt, 2016. Direção: Alex Proyas. Roteiro: Matt Sazama, Burk Sharpless. Elenco: Gerard Butler, Nikolaj Coster-Waldau, Elodie Yung, Abbey Lee, Geoffrey Rush, Rufus Sewell. Gênero: Fantasia, ação, aventura. Nacionalidade: Eua. Distribuidor: Paris Filmes. Duração: 01h58min.

Em resumo, a produção tem 118 minutos, mas poderia ter 90 ou menos se algumas coisas fossem resolvidas sem enrolação. Alguns personagens são completamente irrelevantes e estão ali só para encher a tela, a trilha sonora é vaga e confusa [em muitos momentos faz associação a algo egípcio e no segundo seguinte você está no futuro], os deuses têm armaduras e parecem Transformers, sem contar um cliché horroroso que acontece no final do filme, mas isso é algo que você vai precisar assistir para saber. =D

Nota, 2/5.

25 de Fevereiro, nos cinemas!


Por Leandro Lisbôa

Sobre o autor:
I’m Batman (Bem que gostaria)
Chamo-me Leandro, tenho 27 anos e sou jornalista desde 2012. Atualmente estudo Design de Interiores e Letras Língua Inglesa. Gosto de games, de livros e não dispenso uma boa conversa. A cultura pop é um interesse que tem crescido cada vez mais em mim e, por isso, tenho buscado entender mais e falar sobre.Adoro séries e fazer maratona não é nada difícil para mim. E por falar em maratona, também sou apaixonado por esportes.
=D

Escrito por staff

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)