X-Men: Apocalipse


“Dizem por aí que o terceiro é sempre o pior da trilogia”. Será mesmo?

X-Men: Apocalipse é o terceiro dessa nova leva de filmes dos mutantes. Eu nunca tive problema com sequencias, muito pelo contrário se eu gostar do filme: pode mandar mais! Então podem ficar tranquilos, Apocalipse é muito bom. Já o vilão Apocalipse, nem tanto...


X-Men: ApocalipseDireção: Bryan Singer
Elenco: James McAvoy, Michael Fassbender, Jennifer Lawrence, Sophie Turner, Nicholas Hoult, Rose Byrne, Evan Peters e outros.
País: Estados Unidos

Só para deixar registrado, eu não leio HQs, então tudo que eu conheço dos X-Men ou qualquer outro filme/série baseado neles foi só pelo cinema/tv.


Nesse ano concorrido com mil filmes baseados em quadrinhos, X-Men foi o único que realmente me deixou na expectativa. Eu não curto muito o gênero, mas com os X-Men é outra história. Talvez isso atrapalhasse um pouco minha percepção sobre o longa, mas no final eu percebi que não afetou muito. Afinal sou admiradora, mas não fã.

X-Men: Apocalipse se passa nos anos 1980, 10 anos após Dias de Um Futuro Esquecido. Professor Xavier (James McAvoy) desistiu de ser herói e se dedica a sua escola e aos jovens mudantes que querem controlar seus poderes. Magneto (Michael Fassbender) trocou as tretas por uma vida tranquila e anônima com a família que constituiu.
Os personagens clássicos do grupo, como Ciclope (Tye Sheridan) e Jean Grey (Sophie Turner) são adolescentes (quase) típicos, o que dá aquela sensação legal de aproximação com o público.
Tudo vai muito bem, obrigada, até En Saban Nur, o Apocalipse retornar e querer aquela básica dominação mundial. A principal habilidade do vilão é absorver os poderes de outros mutantes, e graças a isso ele quase dominou o mundo no Egito antigo, até ser traído e ficar preso por milhares de anos.


O auge do filme é uma cena do Mercúrio, não é por #fanzoca do Evan Peters não, mas o cara é sensacional. Que detalhes, que música, que tudo! Momentos que fazem a gente se segurar da cadeira para não levantar e aplaudir.

A Mística da Jennifer Lawrence é considerada um exemplo de heroína pelo mundo todo, inclusive para Tempestade (Alexandra Shipp) que ainda é uma moça novinha lá no Egito. Eu sinto que a atriz já não se importa tanto com esse trabalho, e isso reflete demais na personagem. Ela tá lá, faz a coisa dela, é linda e acaba por aí.


Eu me decepcionei com algumas coisas. Para começar que vilão é esse? Apocalipse é chato, e não tem o menor carisma. Como bem sabemos, os vilões não são só personagens "do mal" que a gente odeia. Vilão tem que ter carisma, tem que fazer a gente ficar com vontade de ver ele ferrar todo mundo (mas no final perder), e algumas vezes até torcer para que ele vença. Mas esse cara... sério. É de dar sono! Muito sono (não é, B?).


Senti falta também do Magneto do Fassbender mostrando para o que veio. Ele começa bem, com um destaque legal e lá pela metade do filme fica invisível. Não é preciso ser fã número 1 dos quadrinhos para saber que o Magneto não veio pra essa vida pra ficar fazendo papel de discípulo mudo de ninguém, não é mesmo??


No mais, X-Men: Apocalipse está no nível de qualquer bom filme de super herói. Gostoso de assistir, aquela tensão básica, mas nada que vá mudar nossas vidas.


X-Men: Apocalipse chega hoje 19/5/16 aos cinemas do Brasil.
xoxo

Fernanda

Escrito por Fernanda Xavier

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)