O Shaolin do Sertão

Foto: Divulgação
Mais forte que coice de mula, mais esperto que um calango e mais inteligente que um pirarucu "brabo"... seria o Chapolin Colorado? Não! É o “Shaolin do Sertão”, filme nacional que chega aos cinemas do país nesta quinta-feira, 20 de outubro.

O longa conta a história de Aluísio Liduíno (Edmilson Filho), um cearense de Quixadá que é fissurado por artes marciais e almeja ser um monge Shaolin. Na trajetória para alcançar seu sonho e acompanhado por seu mais fiel amigo, Piolho (Igor Jansen), Aluísio vai enfrentar a descrença popular e lutar para defender a própria honra e a da cidade que está ameaçada pelo lutador Toni Tora Pleura (Fábio Goulart).

Foto: Divulgação
Apoiado por Rossivaldo (Frank Menezes), candidato a prefeito da cidade, Li sai em peregrinação junto com Piolho para encontrar o Chinês (Falcão) e receber seus conhecimentos milenares nas artes secretas do Kung Fu.

Pois bem, o filme é divertido e eu gostei dele. Há momentos muito engraçados e cheios de clichês, mas eles funcionam (ao menos na maior parte do tempo). Esta é uma boa oportunidade de se conhecer um número grande de expressões e gírias cearenses e rir a veras com elas. A história se passa em 1982 e é possível perceber a caracterização dos personagens, dos locais e, principalmente, os costumes do povo, o que me fez gostar bastante da ambientação. Inclusive, há um momento divertidíssimo no meio da praça com apenas uma televisão para toda vizinhança assistir [bem coisa de interior da época] que me agradou bastante.

A trilha sonora tem músicas tão boas e agradáveis para quem curte canções brasileiras, que chega a ser uma massagem aos ouvidos. Boa parte delas são ótimas.

Foto: Divulgação
O elenco tem dois pontos que destaco: Não gostei do Seu Zé (Dedé Santana). É quase como se ele tivesse sido escolhido só para cumprir tabela. Apesar dele pai de Anésia Shirley (Bruna Hamú), interesse amoroso de Aluísio, fiquei com a impressão de que ninguém sentiria falta caso ele não aparecesse. Em compensação, a Dona Zefa (Fafy Siqueira) está incrível. A participação dela é especial, mas ela deixa sua marca. Ainda estão no elenco Marcos Veras, Cláudio Jaborandy, Luís Guilherme, Karla Kerenina, Tirulipa, Camila Uckers e muitos outros.

A direção de Halder Gomes (Cine Holliúdy) apresenta um filme com cara de Brasil: cômico, com um povo que faz piada de tudo, que tem político corrupto que tenta comprar voto... gostei de como o diretor trabalhou algumas cenas, a atenção para os detalhes mas também me incomodou muito alguns cortes feitos com esmaecimento em preto. Boa parte desses cortes não acrescentou nada e serviu apenas para arrastar o filme por mais tempo do que ele deveria ter. No geral, essa decisão acabou fazendo O Shaolin do Sertão ser um filme que vai morrendo do meio do segundo ato para o terceiro e chega a ser sofrido assistir o restante de tão repetitivo que fica.

Foto: Divulgação
A fotografia é, sem dúvida, uma das coisas de maior destaque no filme. As externas, a paleta de cores, as paisagens, a interação com o cenário. Enfim... *-*

Em resumo: O filme é bom e vale a pena assistir. Vai te arrancar risadas no início e até a metade, mas pode te cansar por repetição e acabar te fazendo dormir na sala do cinema. A Fafy Siqueira está incrível, assim como o Edimilson Filho e até do Falcão eu gostei. A música é boa e merece atenção. Ou seja, se você estiver perto do cinema com a família, cabe o programa.

Trailer


Ficha Técnica: O Shaolin do Sertão, 2016. Direção: Halder Gomes. Roteiro: L. G. Bayão. Elenco: Edmilson Filho, Jansen,Falcão, Marcos Veras, Dedé Santana, Fafy Siqueira, Frank Menezes, Bruna Hamú, Cláudio Jaborandy,Tirulipa, Fábio Goulart. Nacionalidade:Brasil. Gênero: Comédia, Artes Marciais. Trilha Sonora Original: Herlon Robson. Fotografia: Carina Sanginitto. Direção de Arte: Juliana Ribeiro. Montagem: Helgi Thor.Distribuidor: Downtonw Filmes e Paris Filmes.Duração: 01h40min

Nota: 2/5
Te vejo em breve. ;D







Escrito por Leandro Lisbôa

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

1 comments:

Tarcio Moreira disse...

Ótima resenha. Parabéns, Leandro.

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)