Animais Fantásticos e Onde Habitam (3D)


Muita gente ficou se perguntando como a autora J.K. Rowling lançaria uma série de cinco filmes baseado em um livreto de sei lá, quase 70 páginas. Até porque ela foi clara em dizer 'não seria uma sequencia do mundo de Harry Potter'. Muito pelo contrário, revelou que o enredo mostraria acontecimentos que antecedem o nascimento do menino e, que, por sua vez, faz referências àquele universo, contudo, é apenas uma extensão dele. Sendo assim, Animais Fantásticos e Onde Habitam, se encaixaria na definição de spin off  e não prequel, como alguns andavam pensando.

Rowling volta a falar do mundo bruxo, mas o faz de uma forma adulta e diria até mais madura. Assina, pela primeira vez, sozinha, o roteiro de uma produção e mostra que sabe gerir bem suas criações. Muitos dos profissionais que trabalharam com ela na saga do bruxinho continuaram também nesta nova empreitada. O longa têm tanto o mesmo produtor, David Heyman, como também o diretor que conduziu os últimos filmes de Harry, David Yates.

Animais Fantásticos e Onde Habitam traz não exatamente as páginas do livro que fora baseado, mas sim a história por trás de seu escritor, Newt Scamander, interpretado pelo ator Eddie Redmayne.

Quando o filme se inicia, vemos o autor chegar a Nova York com uma maleta um tanto quanto suspeita. O objeto é, na verdade, a casa de diversas criaturas mágicas que Newt encontrara, ao longo dos anos, durante suas expedições pelo mundo. Todavia, no continente norte-americano o pesquisador têm dificuldade em conseguir mantê-las 'presas', ainda mais quando a mala é equivocadamente aberta por uma pessoa comum. O aprendiz de padeiro Jacob Kowalski, vivido pelo sagaz Dan Floger. Os acontecimentos seguintes despertam o interesse da ex-auror Porpentina Goldstein, personagem de Katherine Waterston, e a jovem começa então a seguir Newt para que ele não exponha a comunidade bruxa aos não-mágicos, porém, paralela a chegada do britânico, episódios estranhos também chamam a atenção da MACUSA, Congresso Mágico dos Estados Unidos da América, onde a ex-auror trabalha. 


A película traz aventuras, é fantasiosa, romântica e emprega um tom cômico tão bom quanto o que o público de Harry Potter está acostumado. Rowling utiliza de uma narrativa rápida, concisa e bem estruturada. Faz uso ainda de twists finais sensacionais e amplia o leque de personagens esdrúxulos em uma mesma trama. Sua pontualidade cresce e ela consegue encantar ainda mais o espectador com seu universo bruxo inestimável. Aos personagens, propõe caminhos não tão previsíveis e os presenteia com características que o público vai se identificar de imediato. E, claro, há milhares de referências a Hogwarts e seus personagens. O mais interessante desse novo mundo é conhecer também como vivem os bruxos nos Estados Unidos. A autora joga ainda uma pitada de conflito quando faz um personagem revelar que a escola de magia inglesa não é a melhor do mundo, mas sim a norte-americana, que aliás chama-se Ilvermony.

O trabalho de Yates é movimentado. Sua lente segue a rapidez da narrativa e ele parece ainda mais adequado para o posto de condutor. Seus giros e saltos focam o inesperado, o súbito e o espectador não tem tempo para respirar - o que alguns podem achar ruim, mas aqui funciona muito bem.


O elenco como um todo cabe dentro de seus papéis, sim até as escolhas mais polêmicas. Dan Fogler traz comicidade ao seu personagem de uma forma ótima. Além disso, também é cativante com sua simplicidade e faz cenas muito fofas com a bruxa diva e irmã de Porpentina, Queenie Goldstein, papel de Alison Sudol. A propósito, Katherine e Alison conseguem dar faces distintas as suas personagem e mostram quimica tanto entre si quanto com Dan e Eddie. Este último que entrega o Magizoologista mais fascinante de todos (o preferido de Dumbledore, por sinal). O Newt de Eddie lembra muito os acadêmicos introvertidos que parecem ter muito a dizer, mas são contidos em seu mundo e só se mostram a quem é realmente muito próximo. 

Temos ainda a maravilhosa Samantha Morton como uma perseguidora atroz do mundo bruxo, o Auror misterioso de Colin Farrell (que me fez pular na cadeira em um momento muito gênio do filme), o órfão obscuro Credence de Ezra Miller, o dono de Jornal Jon Voight, a atriz Carmem Ejogo como presidente da Macusa (algo que revela o quão moderno, empoderador e revolucionário  o mundo bruxo é), Ron Perlman como o elfo Gnarlack, e as participações minimas de Zoë Kravitz e Johnny Depp. Este último que deve sim ser significante nos próximos filmes da série. Alías, Depp e Farrell são emblemáticos aqui (quem lembrar da missão deles em Doctor Parnassus vai entender).


Mais uma vez, os filmes envolvendo o mundo bruxo trazem efeitos visuais espetaculares. Um figurino magnifico e uma direção de arte ainda mais exemplar. Logo na entrada do longa, ouve-se o tema do bruxinho mais reformulado e dali em diante James Newton Howard muda de direção e embala o enredo com outros sons - mais alternados entre tensão e delicadeza. A fotografia de Philippe Rousselot enquadra o mundo dos anos 20 e têm panaromas lindíssimos. 

É legal lembrar que em Harry Potter o público conhece a obra 'Animais Fantásticos e Onde Habitam', na lista de livros que os alunos de Hogwarts devem ler para a aula de ''Trato das Criaturas Mágicas''. Quando publicada para o mundo exterior a Hogwarts, J.K. insere detalhes maravilhosos como o prefácio de Dumbledore e os comentários hilários de Rony, Hermione e Harry. Quem não teve a chance de ler anteriormente, recomendo que o faça, pois passará minutos deliciosos.

Aqui não são mostradas todas as criaturas apresentadas por lá, mas dão se destaque a algumas bem divertidas. Como o pelúcio, o seminviso, o gira-gira e também ao conhecido hipogrifo. 

Trailer


Ficha Técnica: Fantastic Beats and Where To Find Them, 2016. Direção: David Yates. Roteiro: J.K. Rowling. Elenco: Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Ezra Miller, Alison Sudol, Johnny Depp, Colin Farrell,Samantha Morton, Jon Voight, Dan Fogler, Ron Pelrman, Carmem Ejogo, Gemma Chan. Nacionalidade: Eua, Reino Unido. Gênero: Aventura, Fantasia. Trilha Sonora Original: James Newton Howard. Fotografia: Philippe Rousselot. Edição: Mark Day. Figurino: Colleen Atwood. Direção de Arte: David Allday. Distribuidora: Warner Bros Pictures. Duração: 02h13min, 
Seja sempre crítico de tudo, mas não deixe de reconhecer bons trabalhos, mesmo que te doa a alma por causa de polêmicas x ou y, e no mais NÃO PERCA ''ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM", pois vale a pena!

Ah, e não há cena pós-crédito!

Avaliação: Três quilos e meio de pó de flu (3,5/5)

Hoje nos Cinemas!

See Ya!
B-

Ps: No começo é tudo tão rápido que o 3D deixa a gente um pouco tonto. Mas ele está sublime!

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)