Passageiros (3D)


2017 se inicia com a estréia da mega produção estrelada por Jennifer Lawrence e Chris PrattPassageiros. O filme se revela bastante original, mas peca em diversos momentos quando se deixa levar por caminhos previsíveis, inclusive em seu desfecho.

A trama mostra a ida dos passageiros da nave Avalon para a nova colônia da terra, a Homestead II. A aeronave está transportando cerca de cinco mil pessoas e também a tripulação responsável pelo auxilio da viagem. Contudo, noventa anos antes de chegar ao seu destino final, o mecânico Jim Preston (Pratt) e a escritora Aurora Lane (Lawrence) despertam por causa de um erro em suas cabines. Como são os únicos acordados ali, eles desenvolvem uma amizade que não tarda a virar algo mais. Porém, a Avalon começa a dar pane no seu sistema e Jim e Aurora são únicos que podem tentar fazer algo para salvar todos a bordo.

O roteiro é do mesmo escritor responsável por Prometheus e Doutor EstranhoJon Spaihts, e a direção fica por conta de Morten Tyldum.
Trailer



A produção se destaca por trazer um elenco muito competente, que é sim pequeno, mas divinamente perfeito para cada cena proposta. Jennifer e Pratt não estão muito diferentes do que já vimos por ai, mas a dupla ganha um bom tempo de tela e desenvolvem ótimos conflitos entre seus personagens. Todavia é quando Michael Sheen e Laurence Fishburne adentram o enredo que o cenário ganha mais nitidez. Sheen, interpreta o barman Arthur que, na verdade, é um Androide. Seu sotaque e charme britânico são usados no filme propositalmente para dar um ar de mistério ao personagem. E ele acha um novo patamar para o papel, pois não é nada como os robôs anteriormente vividos no cinema por Michael Fassbender (Prometheus) ou ainda Jude Law (AI). Laurence Fishburne vive Gus Macuso e, mais uma vez, consegue 'guiar' bem como antagonista em uma produção. Há ainda uma pequena participação de Andy Garcia na película que poderá lhe fazer dar uma boa risada. 

O roteiro de Spaihts escolhe ser simples, mas não deixa de ser atraente. Traz uma narrativa bem explicada e amarrada, contudo ela desemboca em um mar de acontecimentos esperados. O que faz você se perguntar se o rumo que os personagens tomam poderia ter sido melhor aprofundado se fosse distinto do que se vê. Por fim, Spaihts deixa claro que ele trabalha com a reflexão, mas que no fundo prefere que a diversão e a emoção tomem conta da trama. Aliás, ele até abre espaço para discussão sobre o 'livre arbítrio', em certa parte do filme, mas como esse é um dos conflitos mais poderosos da trama (e o trailer consegue esconder isto) é válido deixar o público assistir e cada qual chegar as suas conclusões. 

VAI CAUSAR = > Se preparem que a gangue das feministas radical deve ter muito o que falar sobre um certo acontecimento no enredo. Pois um ato cometido por alguém muda completamente a vida da personagem de Jennifer Lawrence. Tal feito pode talvez vir a ser considerado de tom machista, depende do ponto de vista de cada um, porém convém assinalar que as circunstâncias o põe muito mais como uma atitude egoísta do que qualquer outra coisa. O próprio diretor comenta (e afirma) que qualquer ser humano está propenso a repetir tal ato.


A direção de Morten é precisa. Acompanhando o casal em cada passo que dão e com um ótimo olhar sobre a questão espacial. As ferramentas que ele usa deixa tudo muito aberto e o espectador vê tudo com naturalidade. Há giros de câmera e grandes enfoques nos rostos dos atores, mas não fica somente nisso, pois ele faz a galáxia entrar no campo de visão de quem está assistindo em vários momentos. Com a ajuda do roteiro, ele consegue ainda fazer que a nave seja não só um palco como um dos protagonistas. O diretor foi também responsável pelos filmes 'O Jogo Da Imitação' e 'HeadHunters', ambos excepcionais.

Thomas Newman foi a escolha certeira para a trilha sonora. Ele não repete o que já ouvimos dele e nem soa parecido com o que outras trilhas, desta mesma temática, já apresentaram. Pelo contrário, ataca com muita força nossos ouvidos, mas também traz melodias delicadas. O design da produção é excelente e ela arrebenta também nos figurinos e na fotografia. 
Se possível, considere assistir em 3D, pois o visual do filme está estupendo.


Ficha Técnica:Passengers, 2016. DireçãoMorten Tyldum. Roteiro:Jon Spaihts.Elenco:Jennifer Lawrence, Chris Pratt, Laurence Fishburne, Michael Sheen e Andy Garcia. Nacionalidade: EUA. Gênero: Ação, Scifi.Trilha Sonora Original:Thomas Newman. Fotografia:Rodrigo PrietoMontagem:Maryann Brandon.Figurino:Jany TemimeDesenhista de Produção:Guy Hendrix DyasDistribuição: Sony Pictures Brasil. Duração: 01h57min.Não Recomendado Para Menores de 12 anos
Ponto Negativo: Há uma ótima construção de enredo, mas o desfecho pode não agradar por ser simplista ou previsível demais. Mesmo assim:


Passageiros é uma boa pedida para as férias e pode levantar alguns debates interessantes!

Avaliação: Três robôs altamente bem humorados (3/5).

HOJE NOS CINEMAS!

See Ya!

B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

2 comments:

Rodrigo disse...

Estou ansiosíssimo pra assistir esse, coisas que se passam no espaço chamam minha atenção desde sempre, além é claro do fator Jennifer e Chris, que dão um quê a mais. Espero não me decepcionar... Minhas expectativas estão nas alturas! :D

staff disse...

Olá, Rodrigo. Então corra para os cinemas
;)
Agradecemos a visita e o comentário.

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)