Porque você deveria (ou não) assistir 13 Reasons Why


Relutei bastante antes de escrever este post. Acho que já existem textos suficientes sobre 13 Reasons Why na internet na última semana. Queria deixar registrada minha opinião, não que você se importe ou vá mudar sua vida, mas eu sempre gosto de ler minhas ideias uns anos depois e pensar o que eu sentia.
Então esse texto vai ser bem pessoal.

13 Reasons Why é a série original da Netflix, baseada no livro de Jay Asher. Já havia ouvido falar no livro antes e apesar de achar a história interessante nunca me preocupei em ir atrás pra ler. Mas quando o teaser da série saiu eu fiquei hipnotizada e comecei a esperar ansiosamente pela estreia.

O teaser

Data anunciada, Fernanda na expectativa. Como já devo ter falado aqui umas mil vezes, expectativa é a mãe da decepção, então a melhor coisa que podemos fazer é não alimentá-la. Deixei de lado, vida que segue. Mas o final de março foi chegando e eu já tava agitada esperando chegar o tal do dia 31. Acabou que chegou e eu não consegui assistir, levou uns dias até que eu tivesse um tempinho e pudesse começar a ver e só fui realmente terminar mais de uma semana depois - gente, lembra quando eu só não assistia porque tinha outras mil séries pra ver? hahahaha como a vida é engraçada. 


"Por que uma garota morta mentiria?"

Sinceramente não esperava a sensação que a série causou. Não via ninguém falando sobre nas redes sociais, então fiquei surpresa quando na última semana metade do meu feed no Facebook era um mix de sentimentos e artigos sobre a série da menina morta. 

Sinopse: Uma caixa de sapatos é enviada para Clay (Dylan Minnette) por Hannah (Katheriine Langford), sua amiga e paixão platônica secreta de escola. O jovem se surpreende ao ver o remetente, pois Hannah acabara de se suicidar. Dentro da caixa, há várias fitas cassete, onde a jovem lista os 13 motivos que a levaram a interromper sua vida - além de instruções para elas serem passadas entre os demais envolvidos.


Não entrarei no mérito de analisar a série como "crítica de internet" ou fazer a psicóloga. Mas aqui estão os motivos que eu acho que você deveria (ou não) conhecer a história da Hannah Baker. 

Porque você NÃO deveria assistir

Depressão é coisa séria, só quem já passou por isso sabe realmente. Não tem ilustração, texto de auto-ajuda ou corrente de Facebook que vá fazer você entender. 
E existe uma coisa chamada "gatilho" que funciona mais ou menos assim (vou usar um exemplo próprio): você escolhe um filme para assistir na Netflix e quando nos primeiros minutos a palavra "Metodologia" aparece você começa a se sentir a pessoa mais burra e incompetente do mundo porque lembrou da disciplina que você abandonou na faculdade. Aí você já não assiste mais o filme e passa dias e dias pensando nisso e não quer fazer mais nada, nem ir a aula, porque né? Porque? Desaparecer naquele momento seria ideal.
E olha só: uma palavra. 
Agora imagina uma coisa infinitamente mais dolorida: estupro, suicídio. 

Eu não consigo imaginar a dor que pessoas que passaram por isso sentiram assistindo aquilo ali. É um gatilho PESADO! Quantas relatos li de moças que ficaram arrasadas assistindo aquilo, que tiveram lembranças revividas, passaram mal, não conseguiram continuar...



Temos que cuidar da nossa mente. 
A verdade é essa, claro que apoio é importante. Médico, família, pessoas compreensivas, terapia, remédios e o que for ajudar. Mas nós temos que nos cuidar, se uma coisa te faz mal, ativa aquele monstrinho que tá la no fundo da sua cabeça. Não o faça, não veja essa série, não assista, leia ou escute coisas que te fazem mal. Cuide de você, é sério!

Porque você deveria assistir


#NãoSejaUmPorquê

Muita gente questionou se as cenas de estupro e o suicídio precisavam mesmo ser tão explícitas. 
Eu não sei. 
A série merece ser vista porque é que é importante falar sobre suicídio, bullying, estupro, depressão. Essas coisas estão tão presentes na vida (infelizmente) e todo mundo deixa velado. Porque se a gente fala, é sempre tabu. "Troca o disco", ouvi dia desses.
É importante que a galera que nunca passou por isso se coloque no lugar do outro e consiga pelo menos imaginar como aquilo é difícil, e doloroso. Mesmo depois de morrer a Hannah foi julgada inúmeras vezes pelos "amigos". Nem morta ela teve paz, como pode? 

#NãoSejaUmPorquê Não seja o gatilho de alguém, não subestime os sentimentos dos outros. Cada um sente de um jeito. O que é bobagem para você pode não ser pro seu amigo, pra sua namorada. Empatia. Se coloque no lugar do outro. Por favor.

Se você precisa de ajuda, procure apoio, FALE. 
Você é importante. Nunca se esqueça disso, ok?


Um abraço!

Fernanda

Escrito por Fernanda Xavier

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)