Baywatch: SOS Malibu (3D)



Guarda-vidas com roupas coladas e corpos esculturais no padrão midiático: esse é Baywatch. Mitch Buchannon começa a treinar os três novos integrantes da equipe, à medida que descobre um crime que tem acontecido com frequência na praia de Malibu. Muito "devoto" ao próprio trabalho, não se contenta em apenas salvar vidas de quem está se afogando ou foi ferido por uma água-viva (entre outros animais que o nome não me vem à mente) e tenta solucionar o caso.

Dirigido por Seth Gordon (Quero Matar Meu Chefe), o novo Baywatch conta com o The Rock Dwayne Johnson (Velozes e Furiosos 6) e o Troy Bolton Zac Efron (High School Musical) no protagonismo. Acompanhando os saradões guarda-vidas, estão a mulher dos olhos hipnotizantes Alexandra Daddario (Percy Jackson), Kelly Rohrbach (Café Society), Ilfenesh Hadera (Oldboy: Dias de Vingança) e Jon Bass (Loving). Ah, e é claro, no papel da não convincente vilã está Priyanka Chopra (Quantico).



O filme até que consegue proporcionar uma grande quantidade de risadas. As referências a Grey's Anatomy, High School Musical (que fica melhor ainda, já que o Zac Efron faz parte do elenco), Jonas Brothers, New Kids on the Block, One Direction, Justin Bieber, Breaking Bad e muitas outras são diversão garantida para quem as conhece. O longa-metragem tenta, quase que o tempo todo, ser engraçado. Assim como consegue às vezes, também sabe ser muito forçado outrora. Tem uma cena com teor pornográfico que é prova disso.

As mulheres do elenco são desnecessariamente objetificadas, inclusive com os movimentos de câmera e quantidade de frames. Tá, ok, haters alguns fãs poderão dizer que Efron e Johnson também têm os corpos exaltados em certos momentos. No entanto, meu caro, não é nada, se comparado ao que ocorre com as mulheres. Ao mesmo tempo em que a direção faz isso, o roteiro aparentemente tenta compensar (ou balancear, talvez) com o aparecimento de um certo girl power das personagens. Mas não, not enough, my friend não funciona e não convence. 


Por falar em elenco, Dwayne Johnson não faz além do mesmo de sempre; Zac Efron se esforça demais, mas não chega em um bom resultado. E ambos dão agonia de olhar, porque esses tanquinhos tão apavorantes, de verdade. Alexandra Daddario, como usualmente, entrega um trabalho que até dá um leve prazer de ver. Só que o grande destaque mesmo é Jon Bass, que interpreta o cômico Ronnie. Um ponto interessante deste Baywatch, inclusive, é dar espaço para atores iniciantes no mundo cinematográfico, como também são os casos de Rohrbach e Hadera.

A trilha sonora é um ponto positivo, apesar de ser utilizada como uma ferramenta de humor. Artistas como Lionel Richie, Bee Gees e The Beach Boys fazem parte dela. A fotografia e as belas paisagens (Malibu, né) também são um acréscimo à obra. Já a duração... Um total de quase 120 minutos de filme é extremamente desnecessário - é muita enrolação para preencher o tempo. Talvez fosse o caso de manter em 100 minutos (105, no máximo). 

São muitos clichês, estereótipos explícitos, reviravoltas óbvias e pares românticos desnecessários. Contudo, se você não tiver muito o que fazer e quiser passar um tempo leve, enquanto ri facilmente de coisas toscas, assista ao novo Baywatch. É "legalzinho".

P.S.: Aos fãs da série de 1989: aguardem surpresas!


Até a próxima!
Deborah

Escrito por Deborah Novais

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)