A Luta de Steve


Como você reagiria se logo após ser diagnosticado com uma doença rara e fatal você descobrisse que seu primeiro filho está prestes a nascer? Preparem os lenços, pois uma linda lição sobre a vida é o que podemos esperar da história real do ex-jogador de futebol americano Steve Gleasson em A Luta de Steve (2016), nos cinemas a partir do dia 13 de Julho.


Quem aqui se lembra do Ice Bucket Challenge?  Aquele desafio do balde de gelo que viralizou alguns anos atrás? Além de ter sido um sucesso na internet, o desafio tinha a ideia de conscientizar as pessoas sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica ou ELA, em sua sigla em português.


Desafio Balde de Gelo: 



Essa é uma doença considerada rara e ainda são poucos os estudos sobre como ela surge e como podemos tratá-la. De acordo com a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (ABrELA), a ELA é uma doença neurológica degenerativa que afeta progressivamente a habilidade de se movimentar, falar e até mesmo respirar… Infelizmente ela ainda é uma doença fatal.

E é a partir do diagnóstico de ELA que o filme “A Luta de Steve” começa. O documentário dirigido por Clay Tweel reúne os arquivos pessoais de Steve Gleason, um atleta renomado no futebol americano que se tornou famoso após ter garantido a vitória do New Orleans Saints em 2006. Pouco tempo depois de se aposentar dos campos, Steve, aos 34 anos descobre que sua vida está prestes a mudar drasticamente ao se deparar com o resultados de seus exames.

Trailer

Seis semanas após receber os diagnósticos de que está com ELA, Steve e sua esposa, Michel Viscário, descobrem que terão seu primeiro bebê. A partir dessa notícia, Steve decide que estará presente na vida de seu futuro filho, mesmo que a doença não o permita. Para superar seu as incertezas que vem com o diagnóstico ele começa a gravar pequenos vídeos caseiros como uma forma de poder conversar com o filho que ainda nem nasceu.

O documentário então começa a nos mostrar como que é a rotina do casal nesse momento de se prepararem para serem pais e no embate diário de não saber quanto tempo mais eles terão juntos. É impressionante como que o diretor Clay Tweel conseguiu organizar mais de 1.500 horas de vídeo em um filme de quase duas horas. Tudo isso feito de uma maneira totalmente intimista, que nos coloca realmente em contato com a vida dos dois. Com uma característica de vlogs, que já estamos acostumados a acompanhar em canais do YouTube, Steve e Michel nos deixam fazer partes de todos os momentos de suas vidas.

Para além de tratar apenas sobre a questão de como é a rotina de alguém com ELA, dos desafios e dos aprendizados, o filme retrata lindamente a relação entre pais e filhos. 



No longa, acompanhamos o relato real de Steve, pouco a pouco perdendo suas capacidades de andar, se comunicar e, por fim, de respirar normalmente. Vemos a gestação de Michel, a viagem do casal até o Alaska, a criação do Team Gleasson (um instituito voltado para a melhoria da qualidade de vida das pessoas com ELA); o nascimento de seu filho, Rivers, as tentativas de aproximação entre Steve e seu pai e a transformação de astro do futebol para Steve, o herói da luta contra a ELA. 

Um dos aspectos mais importantes desse documentário é tratar de temas tão fortes com uma simplicidade, realismo e bom-humor. Ele nos faz chorar, a dica é levar um lencinho (porque realmente precisamos), mas também nos faz ver a vida de uma maneira diferente. Nos faz perceber que mesmo com as adversidades ainda temos como descobrir nossa função nesse mundo, como podemos deixar um legado e de como encarar os desafios inesperados com bom-humor é a melhor saída.



O filme é uma ótima pedida para nos motivar a encarar a vida de uma maneira mais leve e valorizar coisas simples e corriqueiras. Não desistir dela é a mensagem principal desse documentário, como Steve fala, “no white flags!” (sem bandeiras brancas em tradução livre).

Não bastasse essa mensagem emocionante o documentário possui uma qualidade técnica muito apurada! A trilha sonora realmente vai fazer com que você precise daqueles lenços que recomendamos no início. 

As imagens, mesmo com um tom caseiro adicionam uma outra atmosfera para o filme, o da realidade! Produzido pela Amazon Movies e com uma equipe que se formou ao longo da trajetória de Steve após o diagnóstico, o filme já foi premiado em diversos festivais! Aqui no Brasil, o documentário estreia no dia 13 de julho, lançado pela distribuidora Elite Filmes!

Para quem se interessar sobre a ELA, vale a pena conhecer o trabalho da Team Gleasson e de algumas instituições brasileira que estão contribuindo para se chegar a uma cura dessa doença que ainda é muito misteriosa.

Link Team Gleasson: www.teamgleason.org/
Link ABrELA: www.abrela.org.br/
Link IPG: www.ipg.org.br/ipg/instituto-paulo-gontijo/lan/br

Avaliação: 4 lenços e meios de muita emoção! (4,5/5)


Escrito por Rafael Augusto Masson Rocha

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)