Corpo Elétrico, de Marcelo Caetano


A frase "somos amigos" define a linha do filme Corpo Elétrico. Mas se contradiz, principalmente, por não haver nenhum envolvimento profundo entre os personagens. 

Corpo Elétrico mostra a naturalidade da vida de seus protagonistas e antagonistas, sem pré julgamentos. São jovens de classe média-baixa, abertos a todo e qualquer tipo de relacionamento sem distinção de sexo e gênero. 

A história gira em torno de Elias (Kelner Macêdo), assistente da estilista Diana (Dani Nefussi) em uma fábrica de confecção de roupas da região do Brás. O pouco contato coma família e a vida sem graça, que se resume ao trabalho e encontro com diferentes homens, o faz sonhar com um futuro diferente próximo ao mar. Ele têm apego forte as lembranças da infância na Paraíba quando o mar era a fuga de todos os problemas.
Trailer

Com a chegada do verão e a aproximação das festas de fim de ano, suas responsabilidades na fábrica aumentam. Seus poucos momentos de lazer são em companhia dos colegas de trabalho. 

Apesar de simples, essa história leva a várias reflexões. Não só o contexto sexual, mas ainda o fato de Elias ser gay e pobre, e, principalmente, a forma como o trabalho rouba sonhos e nos torna alienados. O sistema aprisiona tanto que o fato de "ir à  praia" se torna um sonho inatingível. Um dos rapazes vê no casamento a única maneira de "mudar" de vida.


FICHA TÉCNICA

Corpo Elétrico.País: Brasil.Ano: 2017.Duração: 94 minutos.Direção: Marcelo Caetano. Produção: Beto Tibiriçá, Marcelo Caetano. Produtor associado: Ivan Melo. Produtoras: Plateau Produções, Desbun Filmes. Produtora Associada: África Filmes. Roteiro: Marcelo Caetano, Gabriel Domingues, Hilton Lacerda. Fotografia: Andrea Capella. Edição: Frederico Benevides. Direção de Arte: Maíra Mesquita. Figurino: Flora Rebollo. Desenho de Som: Lucas Coelho, Danilo Carvalho. Mixagem: Ruben Valdez. Música: Marcelo Caetano, Ricardo Vincenzo. Elenco: Kelner Macêdo, Lucas Andrade, Welket Bungué, Ronaldo Serruya, Ana Flavia Cavalcanti, Linn da Quebrada, Márcia Pantera, Henrique Zanoni, Nash Laila, Georgina Castro, Evandro Cavalcante, Emerson Ferreira, Ernani Sanchez. Distribuição: Vitrine Filmes


O filme transita por este universo de sonho e realidade nua e crua mostrando o andar na cidade, o caminhar, o andar de ônibus como uma linha tênue de divisão.

Há presenças fortes e marcantes ali como a da drag Márcia Pantera (que interpreta ela mesma) e Mc Linn da Quebrada.

Dirigido por Marcelo Caetano, a produção  já surpreendeu em festivais internacionais e é uma das promessas nacionais que estreia esta quinta-feira (17).

Confira e tire suas próprias conclusões!!


Helen Nice
@n.dacoruja


😉

Escrito por staff

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)