Com Amor, Simon


A descoberta sexual na adolescência pode, para alguns ter gostinho de mamão com açúcar, ou seja, ser leve, para outros, nem tanto. Isto porque nossa divisão de gêneros e gostos faz com que o medo ao preconceito nos trave por completo. Em 'Com Amor, Simon', do diretor Greg Berlanti, esse tema é tratado de forma jovem e para o jovem. Berlanti tem vasta experiência em shows para este público. Dirigiu e escreveu series como Riverdale, Super Girl, Dawson's Creek, Flash e no cinema foi responsável pela comédia família 'Juntos Pelo Acaso', além do heroflick, odiado pelos nerds, Laterna Verde.

O roteiro escrito por Elizabeth Berger e Isaac Aptaker é uma adaptação para as telas do livro de sucesso da autora Becki Albertalli e conta a jornada de Simon (Nick Robinson) ''para sair do armário'' e também para encontrar um amor. 

No elenco, Jennifer Garner, Josh Duhammel, Katherine Langford, Alexandra Shipp, Logan Miller, Keiynan  Lonsdale e Jorge Lendeborg Jr. A película chega aos cinemas em 05 de abril, mas já pode ser vista em horários de pré-estréia. 


Trailer

Simon Spier, personagem de Robinson, tem uma família acolhedora, amigos especiais como Leah (Langford) e vive uma vida normal como qualquer outro adolescente de classe média norte-americana.  Entre os dramas de sua idade estão a descoberta de quem se é, sua identificação de gênero e de que gênero mais gosta, sexualmente falando, no mundo e perante a sociedade e Simon sabe que é gay, mas escolheu não contar aos pais e amigos ainda para se preservar ou também para não demonstrar suas inseguranças. A situação fica um pouco complicada para ele, pois um dia Simon esquece sua caixa de e-mails aberta e um 'colega' lê o conteúdo das mensagens. Desde então, o jovem começa a ser chcomete uma sequência de erros tudo em nome da não revelação daquelas mensagens.

Eu devo decidir quando, onde e quem saberá. Isto é para ser um lance meu. E você me tirou isso.

O filme consegue tratar o assunto de um jeito delicado e faz graça - mesmo que você não ria de tudo ou acredite que certas pontuações no humor caiam na avacalhação. Os pais de Simon são vistos como aqueles pais super liberais, amáveis, chorões e que vão ajudar sempre o filho. O pai, como sempre naquele estilo bobão, e a mãe a força da casa, mas o foco não é exatamente eles aqui ou qualquer outra relação familiar.

Vemos como a vida na escola, nesse período de descoberta, é um terror. Todos os adolescentes querendo ser reconhecidos como alguém e também conquistarem alguém. O longa traz a boa sacada de que héteros não precisam se afirmar, mas também o deveriam, e faz isto para mostrar o quão é árduo para os gays terem que dizer ao mundo quem se é quando eles também tem inseguranças e medos como qualquer outro ser humano.

Os pais de Simon são interpretados por Jennifer Garner e Josh Duhamel

Por grande parte do filme, Simon está teclando com alguém nomeado 'Blue' na internet e o papo vai aflorando e passando por diversos níveis. Por lá falam de como se descobriram gays e de suas experiências com garotas, seus pais e etc. Acabam se apaixonando, mas blue tem um bloqueio em se mostrar e medo de que o descubram, como acontece com Simon.

Todos os conflitos são jogados em tela para dar consistência ao arco do protagonista e eles se resolvem a partir de certo ponto. Simon comete erros, paga por eles e começa a viver um novo dia após isso. 

O longa realmente chama atenção para pontos importantes e nos mostra que as minorias vão sempre encontrar dificuldades na sociedade e isso deve ser combatido, pois todos querem dançar com alguém, como diz a linda canção de Whitney Houston que é tocada em certa cena. 

Rob Simonsen assina a trilha sonora original, mas não esqueça da lista de canções que tocam pelo filme (escute aqui). Roteiro e direção seguem um padrão claro dos novos filmes para adolescente e talvez não impactem tanto por serem muito óbvios, mas entende-se a força que a mensagem do filme passa. As atuações estão entre ok e ok.

Simon (Robinson) decide dar cara a tapa e esperar pro Blue enquanto a vida passa em uma roda gigante.

 Ficha Técnica: Love,Simon. 2017. Direção: Carlos Saldanha. Roteiro: SRon Burch, David Kidd, Don Rhymer, Robert L. Baird e Brad Copeland - baseado no livro homônimo de Becki Albertalli. Elenco: Nick Robinson, Jennifer Garner, Josh Duhammel, Katherine Langford, Alexandra Shipp, Logan Miller, Keiynan  Lonsdale e Jorge Lendeborg Jr . Gênero:Drama, familia, comédia. Nacionalidade: EUA. Trilha Sonora Original: Rob Simonsen. Edição: Harry Hitner. Fotografia: John GuleserianDistribuidora: 20th Century Fox. Duração: 01h49min.

Verifique na sua cidade os horários do filme e confira!

Avaliação: Três rodas gigantes (3/5).


05 de abril nos cinemas!

See Ya!


B-

Escrito por Bárbara Kruczyński

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)