Medo Profundo


Devo  confessar. Adoro filme de tubarões desde o tempo do precursor Jaws, mesmo sempre prevendo que não será nada além de uma bela e divertida "sessão da tarde".

Em "Medo Profundo" dirigido por Johannes Roberts não seria diferente. A história clichê e super batida do gênero, se repete. Aqui duas irmãs, Lisa (Mandy Moore) e Kate (Claire Holt) em férias no México decidem se aventurar em um mergulho naquelas gaiolas para ver de perto o mais temido monstro dos mares. Aquele terror criado pela indústria cinematográfica que nos fez crer que os tubarões estão à espreita esperando para nos devorar volta com força  total. 

Trailer


Só de ver a espelunca que é o barco do recém conhecido Taylor, o capitão de aspecto um tanto quanto duvidoso e as condições da gaiola já dá para presumir que vem tragédia por ai. Mas uma das irmãs insiste e ambas mergulham na jaula para conseguirem boas fotos para o instagram (ai que moderno). Um acidente acontece e começam os minutos mais tensos do filme com a gaiola a 47 metros de profundidade e pouco tempo de oxigênio para as duas lá embaixo.




Mesmo com poucas aparições do monstro e grandes falhas no roteiro, ainda assim o filme consegue nos fazer prender a respiração, como se estivéssemos também com um tanque e pouco ar. Alguns poucos sustos e um final até que surpreendente marcam a película. Mas os diálogos são fracos e tem bem menos tubarões do que eu gostaria de ter visto.


FICHA TÉCNICA

Título original: 47 Meters Down. Nacionalidades: Reino Unido, EUA, República Dominicana. Gêneros: Suspense, Terror. Ano de produção: 2017. Estréia: 8 de março de 2018 (Brasil). Duração: 1h 41 minutos. Classificação: 14 anosDireção: Johannes Roberts. Roteiro: Johannes Roberts,Ernest Riera. Produção: Harvey Weinstein, Bob Weinstein, Lee Vandermolen, Lee Stone, Matthew Signer, Mike Runagall, Duncan McWilliam, Andy Mayson, Wayne Marc Godfrey. Trilha sonora: Wayne Marc Godfrey. Direção de fotografia: Mark Silk. Edição: Martin Brinkler. Design de produção: David Bryan. Direção de arte: Thomas Bryan, Natalia Veloz Chapuseaux, María Fernanda Sabogal. Decoração de set: Fran Cooper. Figurino: Eleanor Baker. Estúdios: Dimension Films, thefyzz, Tea Shop & Film Company, Entertainment Studios Motion Pictures, Altitude Film Sales, Dragon Root Securities, Flexibon Films, Lantica Media
Distribuição: Playarte Pictures

Ponto positivo é que a trama se dá quase o tempo todo sob as águas e o público realmente se sente tenso e claustrofóbico. Ser comida de tubarão ou morrer sem ar não são as melhores opções do mundo.

Por fim, vale dizer que nem com coisinhas boas aqui e ali se aproveira algo do filme, ou seja, ainda prefiro o bom e velho Tubarão de Spielberg.

08 de março nos cinemas
Por

Helen Nice
@n.dacoruja

Escrito por staff

    Comentários Blogger
    Comentários Facebook

0 comments:

Postar um comentário

Pode falar. Nós retribuímos os comentários e respondemos qualquer dúvida. :)